Nerd de Pijama – Star Wars Day

Nerd de Pijama de volta para celebrar o nosso Star Wars Day! Que todo bom nerd que se preze ama Star Wars a gente já sabe, mesmo que haja briguinhas ainda entre o final da agora nomeada Saga Skwalker, estamos aqui para lembrar alguns dos ótimos momentos de todo esse Universo criado pelo senhor George Lucas lá no final dos anos 1970.

De tantos ensinamentos, cenas cinematográficas memoráveis, personagens icônicos e claro um ensinamento maior que é A Força; Star Wars seria mais uma saga nerd no meio de tantas outras não dado o tamanho do impacto que causou no mundo desde A Nova Esperança em 1977. Contemplar um Universo que é regido por algo maior que beira o divino é bem humano e quando isso é personificado literalmente entre bem e mal toca o íntimo de quem sempre foi regido por uma legião de filmes que continha um mocinho e um vilão. Os Sith e os Jedi sempre tiveram que lutar entre si, seja na primeira, segunda ou terceira trilogia de filmes ou até mesmo nas animações 3D, desenhos, livros e todos os outros cameos criados ao entorno da história de Luke, Leia e Han Solo. Tudo na busca do tal equilíbrio universal pregado em diversas religiões, crenças e em até mesmo outros universos do mundo nerd.

Mas nem sempre esse tal equilíbrio foi encontrado durante os anos, As Guerras Clônicas são a prova disso, em Rebels também vemos um mundo onde os Jedi estão praticamente dizimados. E mais recentemente vimos isto, com todo o império pomposo da Nova Ordem. E diga-se de passagem que Kylo Ren é um nível a mais de Sith. Ao mesmo tempo que ele o é, o personagem também mostra toda a humanidade de seu avô: o tal escolhido para trazer equilíbrio à Força, Anakin Skwalker. E se você nerd parar para analisar, vivemos atualmente num mundo bem parecido: guerras, mundos distantes conectados, escuridão reinando à torto e a direita, mortes diversas… Fica difícil olhar para o céu à noite e ter um pouco da Esperança tão eloquente pregada pelo Mestre Yoda e transmitido pela General Leia Organo Solo. Como diria o jovem Anakin ainda na condição de escravo em Tatooine: “O problema do Universo é que ninguém se importa com ninguém.” E parece mesmo que a tal galáxia tão, tão distante é o mundo de 2020 onde muita gente ainda não entende e nem pratica a empatia.

Contrapondo-se a isto, temos o grande ensinamento Jedi de que desespero e tristeza não são lá o melhor jeito de se alinhar à Força ou combater o Lado Negro. Afastar-se da fé sábia dos Jedi também não foi um bom caminho como vimos já (ainda bem que a Rey conseguiu mostrar isto ao Luke). Então no que se agarrar em tempos sombrios como este? Bom, tem uma porrada de lições dentro do Universo de Star Wars sobre isso e se você esqueceu alguma é sempre válido uma maratona dos 11 filmes lançados (mesmo que o do Han Solo seja mediano demais). Estar perto de quem amamos, meditar e continuar mantendo a nossa saúde mental, não julgar os fatos muito rapidamente acreditando em coisas como Fake News, pensar no bem coletivo antes de impor poder à uma sociedade… São alguns deles e por mais legal que os Sith possam parecer, vamos lembrar que atualmente temos um Palpatine no poder, então voltemos também à crença de Padmé Amidala: a democracia, o coletivo e a solidariedade.

Claro que muitas vezes os Jedis também são questionados e até vistos como uma ordem opressora de contra ponta no meio do Universo de Lucas, e é ótimo ver isto em Rebels por exemplo onde é explorado de forma ótima a posição de padawan, mestre, guardião, a conexão entre os seres, a vista do futuro e como as coisas podem divergir de acordo com os fatos, etc. Então sugiro, caro nerd, que agora neste momento obscuro nós nos reconectemos com A Força de alguma forma. A fala de Chirrut Îmwe em Rougue One acabou de me voltar à mente através da nossa querida Ashoka Tano: “Eu sou um com A Força e A Força está comigo.” Um mantra que deixo para este momento de pandemia entre tantos outros por vários Mestre Jedi e também o fazer o que é correto e ajudar a quem mais precisa.

E não por fim, lembrar que teremos uma nova temporada de The Mandalorian! E se você não tem um Baby Yoda para abraçar no momento, não se preocupe: abrace quem estiver por perto de você, afinal, somos todos parte desse grande Universo vasto e talvez sem limites. Que a Força esteja com todos vocês!